sexta-feira, 2 de setembro de 2011

FIV aumenta a possibilidade de gerar embriões com alterações genéticas ??

Eis que me surgiu essa dúvida... Será que o processo de fertilização in vitro pode aumentar a possibilidade de gerar embriões com alterações genéticas ?

Estava pensando no meu resultado após o CGH dos meus 03 embriões. Vejo tantas mulheres da minha idade ou até mesmo mais velhas que eu, engravidarem naturalmente e terem bebês saudáveis. Como eu pude ter  03 embriões com alterações cromossômicas se tenho cariótipo normal ? Fiquei com essa dúvida pairando em meus pensamentos e fui pesquisar, encontrei algumas informações interessantes sobre esse assunto.

"Os especialistas constataram que as fortes substâncias usadas para aumentar o número de óvulos podem levar a problemas de desenvolvimento do embrião e desencadear o aparecimento de cromossomos anormais nos óvulos produzidos" www.saude.terra.com.br/noticias/0,,OI5222140-EI16561,00-Fertilizacao+in+vitro+pode+aumentar+riscos+de+sindromes.html

"As alterações na quantidade de cromossomos, denominadas aneuploidias, são uma das principais causas de infertilidade, sendo muito frequentes em embriões produzidos in vitro, podendo alcançar 60% em mulheres com idade até 35 anos e 80% em mulheres com 41 anos". www.genesisgenetics.com.br

Dois dos meus embriões eram aneuplóides !

Creio que esses dados são de suma importância, eu não tinha a miníma consciência disso. Talvez esse seja um dos fatores desencadeantes para vermos tantas mulheres submetidas ao processo de FIV que resultam em um beta negativo ou até mesmo a aborto no primeiro trimestre de gestação, devido a essas alterações cromossômicas.

O que fazer para prevenir isso ? Para mim uma opção é o CGH, que consiste em uma biópsia embrionária que analisa os 24 cromossomos do embrião e somente serão transferidos para o útero materno aqueles que são saudáveis cromossomicamente.

"A análise de todos os cromossomos eleva os índices gestacionais, o que significa aumentar a taxa de implantação embrionária e diminuir os riscos de abortos, possibilitando o nascimento de bebês saudáveis". www.revistafator.com.br/ver_noticia.php?not=168279

O CGH tem grandes vantagens, assim como riscos... Na minha concepção o risco maior é os embriões não conseguirem chegar até o 5º dia de evolução, quando estão na fase de blastocisto, nesta fase que é realizado o exame. E se não atingirem o 5º dia não ter nenhum embrião para transferir. Vendo por outro ângulo se isso ocorrer será a própria seleção natural da vida !

Considero o CGH um exame de grande importância, no meu caso ele apenas antecipou um beta negativo ou na pior hipótese um bebê com uma síndrome grave.

3 comentários:

  1. É um soco no estômago passar por tudo isso e não conseguir um embrião... mas ao mesmo tempo quando a gente vê que só adianta um negativo ou evita um problema ainda maior, dá para perceber a importância do exame. Eu pretendo fazer o CGH, e confesso que tenho um meeeeedo de não sobrar nenhum embrião! mas pensando da forma como vc colocou percebo a importância do exame! Será minha primeira FIV e a insegurança é enorme...rs
    Mas vamos seguindo em frente! Tô na torcida por você!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Acho que o resultado negativo seria a resposta dos problemas genéticos. Acho que os medicamentos acabam fazendo com que haja um crescimento e utilização de óvulos que não seriam naturalmente desenvolvidos. Então, na verdade, acho que estamos fertilizando óvulos que não seriam fertilizados e eles naturalmente morrem depois.
    Com vc fez o exame, então soube o que aconteceu com eles. Nos que não fizemos, tivemos o negativo.
    Gostei de seu texto.

    ResponderExcluir
  3. Olá, estou passando por aqui, para convidar você para conhecer meu DOCE blog.

    Quando puder passe por lá, vai ser prazer ter sua companhia.

    www.tatidesigner.blogspot.com

    ResponderExcluir

Seu comentário é sempre bem vindo !
Se quiser fazer contato por e-mail, utilize o Formulário para contato.
Espero que tenha gostado do blog. Volte sempre !